ALERGIA E IMUNOLOGIA

VACINAS

12 de novembro - Dia Mundial contra a Pneumonia: como prevenir a doença

 07, nov, 2018

Rio de Janeiro, novembro de 2018 – Dia 12 de novembro é o Dia Mundial contra a Pneumonia. A doença é uma infecção respiratória grave, caracterizada por tosse, febre e secreção. Ela é uma das principais causas de hospitalização no Brasil e no mundo, sendo que cerca de 1,2 milhão de crianças morrem anualmente em decorrência desta enfermidade.1 A forma mais eficiente de prevenção contra a doença é a vacinação.2

Atualmente, a cobertura vacinal para a prevenção da pneumonia, causada pela bactéria Streptococcus pneumoniae ou pneumococo,  está abaixo do recomendado no país, apesar da vacina ser gratuita nos postos de saúde para crianças menores de cinco anos.3,4,5,6,7 Dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), atualizado em agosto de 2018, apontam que a cobertura vacinal do esquema primário chegou a 86% em 2017 e da vacinação de reforço, a apenas 74%.3,4 Comparando com 2016, houve uma queda de 10 pontos percentuais no país, quando a cobertura era de 95% para a primeira dose e 84,10% para o reforço.3,4

Em 2016, a pneumonia foi a maior causa de mortalidade infantil por doenças infecciosas no mundo. Essa informação foi observada ao analisar crianças menores de 5 anos.10

Causas e transmissão

A pneumonia é causada por diversos agentes infecciosos, incluindo vírus, bactérias e fungos, e pode ser transmitida de algumas maneiras.2 Os vírus e bactérias que são encontrados no nariz ou na garganta de uma criança podem infectar os pulmões se forem inalados. Além disso, os vírus e as bactérias também podem se espalhar através de uma tosse ou espirro, e até mesmo pelo sangue, especialmente durante e logo após o nascimento.2

Sintomas

Os principais sintomas de uma pneumonia aguda são tosse constante, febre, gemidos por causa de problemas respiratórios, dificuldade para se alimentar, apatia, prostração, e aumento da frequência respiratória. As crianças que manifestarem esses sinais devem ser levadas para atendimento médico imediato para tratamento adequado.8

Doença Pneumocócica

A bactéria Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é a principal causa de pneumonia e de doença invasiva em crianças com menos de cinco anos, por doenças preveníveis através da vacinação.11

O pneumococo causa doenças que atingem o sistema respiratório, a corrente sanguínea e o cérebro. São classificadas em dois tipos: Doença Pneumocócica Invasiva (DPI) – meningite, sepse e alguns tipos de pneumonia, – e Doenças Não Invasivas, consideradas de menor gravidade, que incluem outros tipos de pneumonia e otite média.9

Prevenção

A forma mais eficiente de prevenir a doença pneumocócica e, consequentemente, prevenir a principal causa de pneumonia em crianças, é a vacinação.2,9 O Calendário de Vacinação do Programa Nacional de Imunizações (PNI) recomenda a administração de duas doses da vacina pneumocócica 10-valente (conjugada) idealmente aos 2 meses e aos 4 meses de idade e vacinação de reforço aos 12 meses.6

A vacina pneumocócica 10-valente (conjugada) está disponível gratuitamente nos postos de saúde para crianças menores de cinco anos.6,7

Além da vacinação, outras formas de prevenção da doença em crianças são: lavar as mãos regularmente, garantir uma nutrição saudável, não compartilhar mamadeiras, copos e utensílios de cozinha, e beber água potável.12,13

 

 

 

 

 

 

Sobre o nosso trabalho de mais de 25 anos

O Jornal de Saúde surge em 1989 fundado por Marcelo dos Santos, jornalista profissional - MTb 16.539 - SP/SP e hoje possui outorga de SCM-Sistema de Comunicação Multimídia pela Anatel - Agencia Nacional de Telecomunicações. Também somos credenciados ao CREA - Conselho Regional de Engenheiros e Agronômos.

O Jornal de Saúde circulou como jornal tablóide durante mais de 80 edições, depois como estandarte e em várias capitais e cidades importantes do interior de São Paulo, como Campinas foi um trabalho árduo e gratificante fez com que a marca ou logo Jornal de Saúde ganhasse o Brasil, praticamente, muito importante para a conquista de novos leitores aqueles que se preocupam com a saúde e investem para aprender e colocar em prática aquilo que o Jornal sempre transmitiu como muito respeito ao leitor, pois o jornal era comprado em Bancas de Jornais e Revistas, o que mantinha as edições e dava orgulho ao leitor em ter informação de qualidade e ética.

A partir do ano de 2008 o Jornal de Saúde entrou na internet, já havia entrado em 1999 como iniciou a internet no Brasil, ficou no registro no Registro.BR apenas.

Lançamos o site jornaldesaude.com.br sempre preocupados com a notícia e na pauta entrevistas com médicos, enfim profissionais de saúde, formados, professores, militantes e sempre com ética, matérias pagas como informe publicitário e científico. Agora informação e publicidade aliados ao ingrediente da internet muita informação e de graça, ou seja, muda a forma de captar e publicara notícias muito mais veloz e instântanea.

Bem, essa é nossa história, que lhe chamamos também para reiniciar essa conquista com artigos, entrevistas, reportagens em geral para a sua informação, pesquisa, formação e ousar um pouco a sua cultura mais ampla, e com ética e qualidade, é tudo venha e faça parte do Jornal de Saúde.

Obrigado.

Marcelo dos Santos