CANCEROLOGIA

 

Julho 31, 2017

Fiocruz desenvolve metodologia inédita e inovadora para o diagnóstico molecular para o tratamento personalizado do câncer


 

 

A Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS), criou uma metodologia inovadora e inédita no mundo para o diagnóstico molecular para o tratamento personalizado do câncer. Ao identificar, por meio de análises genéticas, o perfil molecular do tumor e do tecido saudável de cada indivíduo, poderá ser indicado o coquetel de medicamentos mais relevante para cada paciente, minimizando os efeitos colaterais.


O projeto tem patente depositada e não existe concorrente no mercado para esse tipo específico de diagnóstico. O potencial da iniciativa foi reconhecido pelo edital Apoio ao Empreendedorismo e Formação de Start-ups em Saúde Humana do Estado do Rio de Janeiro, da Faperj, e ganhou o investimento inicial para que chegue à população.


“A proposta da Fiocruz permite a indicação de uma terapia mais precisa, o que significa, em termos de benefícios diretos, mais chance de cura, menos efeitos colaterais e melhor sobrevida para os pacientes. As terapias atuais são altamente agressivas. Além disso, a economia representada pela escolha adequada do medicamento pode ser revertida para ampliar o acesso da população ao tratamento”, afirma o especialista em bioinformática do CDTS/Fiocruz, Nicolas Carels.


O método foi desenvolvido para ser aplicado a pacientes com qualquer tipo de câncer e está validado, ou seja, testado em linhagens celulares tumorais e não-tumorais com resultados de máxima eficiência para o câncer de mama, reiterou Tatiana Tilli, especialista do CDTS que divide o desenvolvimento da metodologia com Carels. “Indiretamente, representa uma economia financeira substancial para o gestor hospitalar em termos de despesas com efeitos colaterais, novas internações e ciclos longos de tratamento. Isso é parte da inovação em saúde que estamos propondo”, observa.


A metodologia poderá beneficiar pacientes, médicos, equipe médica, gestores e laboratórios farmacêuticos. “Temos que comemorar a mudança de paradigma com esse primeiro edital da Faperj para o investimento em inovação e start-ups. A tecnologia é objeto de empreendedorismo, de investimentos e parcerias públicas e privadas. O CDTS/Fiocruz tem como missão levar o novo conhecimento gerado pela pesquisa e desenvolvimento tecnológico até a população”, ressalta o coordenador-geral do Centro, Carlos Medicis Morel.


Inovação em saúde


O CDTS é responsável pela aceleração de processos de inovação na área, ou seja, pela geração de produtos ou serviços que resultem em melhores intervenções - tais como vacinas, fármacos, biofármacos, métodos e reagentes para diagnóstico - para as populações que delas necessitam, onde quer que estejam.


Câncer


O câncer é uma doença grave cujo impacto global estimado é de 27 milhões de casos no mundo até 2030, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O câncer de mama é o mais comum em mulheres (atinge uma proporção de 25% de todos os cânceres). No Brasil, cerca de 70% do tratamento realizado para todos os tipos de câncer é feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

 

 


 

 
 
 
 
Fevereiro 10, 2017

Câncer de pele é tumor maligno mais comum no Brasil


Doença atinge cerca de 181 mil pessoas por ano 

 

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA, estima-se que o câncer de pele (melanoma e não melanoma), atingiu, aproximadamente, 181 mil pessoas em 2016. É, portanto, o que mais acomete pacientes no Brasil. “O câncer de pele é aquele que ocorre pela proliferação anormal de células da pele. É um tumor maligno que pode atingir toda a superfície do corpo do paciente. A doença é dividida em três tipos: carcinomas basocelular e espinocelular (ou escamocelular) e o melanoma, o mais agressivo de todos”, revela o oncologista clínico do Instituto de Hematologia e Oncologia Curitiba, Dr. Roger Akira Shiomi.


De acordo com o Dr. Shiomi, os sintomas variam conforme o tipo do câncer. “No carcinoma, é comum surgir uma elevação na pele com uma cor mais perolada e vasos sanguíneos ao seu redor. Também é possível observar, no subtipo escamoso, uma ferida que não cicatriza”, explica. Já no melanoma, devido a sua gravidade, é recomendada a avaliação do ABCDE do melanoma pelo oncologista, pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e pelas Sociedades de Oncologia. “O ABCDE ajuda a avaliar as características de risco, ou seja: A – a assimetria, que é quando se divide a imagem do tumor pela metade e um lado é diferente do outro; B – as bordas, ou seja, quando existe uma irregularidade e o tumor não é redondinho, simétrico; C – a coloração, que pode variar dentro de uma mesma lesão; D – as dimensões, sendo mais perigosas quanto maior forem as lesões; e o E – a evolução, ou seja, por exemplo, se a lesão passa de um tamanho e torna-se progressivamente maior”, observa. 

O câncer também pode atingir a parte sob a unha. “Geralmente costumamos ver, abaixo da unha, o melanoma de extremidade. Os pacientes que tiverem alguma mancha mais escura que não esteja relacionada a um trauma, ou seja, uma batida de futebol, por exemplo, devem ser investigados”, salienta o oncologista.


O tratamento do melanoma depende do estágio da doença. Em casos iniciais, a cirurgia com ou sem radioterapia tem altas taxas de cura. “Já em casos mais avançados, quando a doença se espalha para algumas ínguas ou para outros órgãos, é possível se beneficiar da Imunoterapia, tratamento pelo qual o aumento da imunidade é quem mata o tumor, ou de terapias-alvo, que são direcionadas a um alvo específico do tumor”, afirma o oncologista.

Os carcinomas podem ser tratados com cirurgia, radioterapia ou terapias à base de congelação. “Em casos mais avançados, o paciente pode realizar quimioterapia ou as terapias-alvo”, comenta.


Previna-se

As medidas de prevenção mais importantes contra o câncer de pele são: evitar os raios solares e fazer uso do filtro solar de fator de proteção 30 e de barreiras físicas. “Deve-se evitar os horários de pico de sol, das 10h às 16h, utilizar chapéu e bonés, além dos óculos de sol, que também são importantes para evitar, inclusive, a catarata. No caso das roupas, recomenda-se usar aquelas feitas com algodão. Hoje já existem tecidos de roupas mais modernos que têm protetores solares inclusos”, comenta Dr. Shiomi.

Não são apenas as pessoas com pele mais brancas e mais idosas que estão propensas a ter câncer de pele. Qualquer um pode apresentar a doença. “Existe uma classificação entre os tipos de pele chamada de fototipos. Eles variam desde fototipos mais claros, mais propensos a desenvolver o câncer de pele, até aqueles com mais pigmentação, com maior proteção da pele e, portanto, menor tendência ao desenvolvimento desses tumores malignos. Mas isso não quer dizer que é inexistente! Então, mesmo as pessoas de raça negra devem utilizar protetor solar e todas as medidas físicas. Prevenir é melhor que remediar”, afirma o oncologista.

 

Exames de Mama sem dor, hematomas e econômico


 para o bolso e saúde



Olha o exemplo de exame de mama com o aparelho apertando a mama

Esqueça tudo que você ouviu e leu sobre exames de seios, tecnicamente, mamografia. Não nenhuma revolução. Trata-se de uso do raio infravermelho adaptado a aparelho para exame de mama, isso mesmo, até mesmo para exame de próstata. Os drs. Renato Marcelo Jorge, médico e Fernando Nunes, são dois pioneiros em Belo Horizonte que atende, somente, exames de Mama, obviamente para mulheres, apesar dos homens também fazerem e acompanhadas.

Quando pedi para esquecer é que o exame com Mamógrafo é dolorido, deixa marcas na mama da mulher. E, segundo o dr. Renato Marcelo Jorge, segundo pesquisas e evidências de fatos, se a mulher, ou qualquer pessoa tiver um pequenino caroço no seio com o exame atual com mamógrafo, ou Raio X, no decorrer de meses, que pode ser o período de fazer o exame novamente, entre 6 meses a 12 meses. Esse pequenino nódulo pode aumentar pelo efeito da radiação.
Ilustração de exame


Na internet se encontra alguns artigos como este: Especialista esclarece boato que associa mamografia a câncer de tireoide, não relacionado com o câncer de mama causado pelo exame. Mas, a probalidade é tão grande e a exposição das mamas tão grande, elas não usam proteção nenhuma. Vamos a exemplo, para fazer radiografia dentária a mulher se estiver grávida não se recomenda. A pessoa normal precisa de avental. As radiologias craniosacral, precisam de proteções e todas as radiografias onde se usa o Raio X, a proteção de avental de chumbo é necessária.

Se tiver tempo leia essa matéria exclusiva sobre os danos do Raio X e a proteção: Proteção impede efeitos danosos à saúde durante exames de raios-x

Por isso, o exame de mamografia por infra vermelho veio para retirar o público feminino desse alto risco. Depois a mulher não fica com manchas roxas e não corre o risco de aumentar o corocinho ou pequeno nódulo, que até então era benigno e com contato com o raio x pode se tornar até mesmo maligno, em câncer, que não podemos deixar de ressaltar a importância dos exames. Quando detectado com tempo é muito mais fácil o tratamento e até mesmo a cura, sem radicalismo, de cirurgias estipartivas dos seis, próteses e até mesmo efeitos colaterais, pós cirúrgico onde o braço aumenta.
ilustração mama real
ilutração de mama após exame


O aparelho de Mamografia por Raio Infra Vermelho foi desenvolvido em Israel. Mas, é fabricado e comercializado para todo o mundo pelo Japão.

O médico Renato Marcelo Jorge, lembra que o Outubro Rosa, poderia ser chamado de Outubro Negro devido ao efeito de 4.76 de radiação gama que a mulher recebe quando se expõe ao exame das mamas, nas duas, então são quase 10.0 de radiação.

O exame do raios infra vermelho aumenta a mama, segundo, o médico 600 vezes e pode ser visto perfeitamente qualquer tipo de nódulo. Importante frisar, a adolescente de 16 anos pode fazer, a mulher lactante, que está amamentando. A mulher grávida pode fazer. Enfim toda a contra-indicação que restringia e colocava em risco o grupo que podia com aumento e até mesmo a formação de novos tumores. Com o exame de Raio Infra Vermelho para a mama, acabou.

O exame pode ser mais profundo ainda com a utilização de sonda, que aprofunda mais ainda, e as camadas de derme, epiderme e gordura pode ser vista nitidamente e evidenciar através de fotos qualquer tipo de nódulo. Ainda mais quando o exame de apalpação e até mesmo sintomas de dor e desconfiança. Ai, a identificação é rápida. O retorno pode variar e pode ser até mesmo de 5 anos vai depender se o nódulo crescer ou não. Ele pode ser nódulo benigno e como não vai correr risco com a radiação ele vai ficar sendo benigno. Mas, pode e isso é de cada um para cada um, particular, desenvolver para maligno.
Como evoluiu a tecnologia, o aparelho é simples, parece câmara de filmagem


Com o raio infra vermelho, não é obrigado fazer exame todos os anos. E, existem exames com Raio Infra vermelho, para cólon de útero, próstata e parte esquelética. As opções de exames são inúmeras, mas dr. Renato que ele estudou e preferiu ficar somente na área de mamografia para assim poder trabalhar melhor. Mas, pensa em estudar para atender a clientela masculina que sofre com o exame de toque retal para detectar anomalias e até mesmo câncer de próstata. Ainda, apenas em pensamento, mas pode ser seu próximo público.

O custo do exame em clínicas particulares não podemos revelar aqui devido a ética de mercado e até mesmo a velada ética médica. Mas, com o raio infra vermelho pode sair entre 40% dos exames tradicionais. A economia e segurança diante desse exame é enorme. E, o laudo é aceito pelos médicos sem contestação pois todo ele é fotografado e com estimativas e tudo, tudo comprovado cientificamente por gráficos, imagens e números. O mais atraente é que pode ser feito em apenas 15 minutos. 
Como é feito a mamografia tradicional a mulher é preparada e uma parte de cima vai espremer a mama fortemente para bombear raio x na pele e sem proteção


O laudo, saliente o médico, não tem como recusar, mesmo com alguns radiologistas não gostarem e fazem um clubinho bem seleto e caro para atender dentistas e médicos. Além disso o aparelho foi testado e aprovado pela Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que atua com rigor em relação a medicamentos, tratamentos e aparelhos que entram e que são produzidos no país.

O dr. Renato, chama a atenção para cenas que ele já presenciou, “a mulher chega a desmaiar de dor para fazer o exame. Existem fotos que se vê a agressão “necessária” para o exame tradicional onde a mama da mulher precisa se prensada. Muitos pensam que é “lenda” a dor ou a sensibilidade que a mulher sente nos seios. Por isso, ele comenta esse exame é “muito agressivo”.

E, ainda aponta, quase a maioria dos exames com mamografia tradicional que já examinei até hoje, a maioria, desenvolveram câncer de mama.

Marcelo dos Santos – jornalista profissional – Mtb 16.539 SP/SP